Machu Picchu

Data da viagem: Junho de 2017

Curiosidades e Dados Sobre Machu Picchu (2017)

  • Clima: As temperaturas giram em torno dos 8°C à 11°C nos meses de inverno (abril a outubro), e de 18°C à 22°C no verão (novembro a março);
  • Quando ir: Machu Picchu está localizado em uma área sob influência do clima subtropical, o que resulta em chuvas fortes em determinadas épocas do ano, situação que pode levar a paralização de alguns passeios. Desta forma o mais indicado é conhecer a cidade sagrada nos meses de inverno, que se estende de maio a setembro, durante este período a incidência de chuvas é bem menor. Os meses de julho e agosto são considerados a alta temporada, devido as férias escolares da maioria dos países da América Latina;
  • Tempo médio de estadia: 1 dia é o suficiente para conhecer a cidadela de Machu Picchu. Obs: Opinião baseada em meu formato de viagem e gostos particulares;
  • Acesso aéreo: O aeroporto mais próximo de Machu Picchu, fica a 112 km de distância, na cidade de Cusco. As principais companhias aéreas que fazem esta rota saindo do Brasil são, Latam e Taca, esta última em parceria com a Avianca. Atualmente não existem voos comerciais diretos do Brasil para Cusco, sendo que a maioria das conexões ou escalas acontecem na capital Lima. O Aeroporto de Cusco é o Alejandro Velazco Astete, e fica a apenas 5 km do centro da cidade.
  • Acesso a Machu Picchu: Não existem estradas rodoviárias até a Vila de Águas Calientes, última parada antes de Machu Picchu, sendo necessário fazer esse percurso das seguintes formas:

- Trem: Maneira mais fácil, rápida e tradicional. As duas companhias que operam trens até a Vila de Águas Calientes são, Peru Rail www.perurail.com/es, e Inca Rail www.incarail.com/es/index. A Peru Rail é a mais famosa, pois era a única que oferecia esse percurso através da estação de Poroy, que fica ao lado de Cusco. O valor médio cobrado de ida e volta em vagões econômicos é de US$ 180 Dólares. O tempo médio de viajem de Cusco até a Vila de Águas Calientes é de 3:30h.

Dicas:

Procure comprar as passagens com antecedência, isso garante seu lugar no trem, além de aumentar as chances de conseguir os melhores preços;

Para vislumbrar melhor as lindas paisagens durante a viagem, procure fazer o percurso durante o dia, reserve uma poltrona na janela, e se possível escolha um trem com janelas panorâmicas, como o Vistadome da Peru Rail;   

A estação de Poroy, fica a mais ou menos 30 min de taxi do centro de Cusco (valor médio cobrado pelos taxistas para o percurso Plaza de Armas até a Estação de Poroy, 30 Soles);

Leve a passagem impressa e o documento utilizado para a compra da mesma (RG, Passaporte).

- Trilhas: Opção preferida dos aventureiros, e de pessoas que dispõem de mais tempo livre. As principais trilhas utilizadas são:

Trilha Inca: Uma das trilhas mais famosas do mundo, e consequentemente uma das mais concorridas também, sendo necessário fazer o agendamento com meses de antecedência. Tempo médio de duração, 4 dias e 3 noites, para percorrer uma média de 40 km, valor aproximado US$ 500 Dólares. 

Trilha Salkantay: Uma trilha alternativa, tem duração de 5 dias e 4 noites, valor aproximado US$ 400 Dólares.

Trilha Hidrelétrica: É a mais rápida e simples de se fazer, além de ser uma alternativa econômica perante as demais opções de acesso a Machu Picchu. A primeira parte do trajeto é feito através de uma Van, onde a mesma tem como parada final uma hidrelétrica, local onde os ocupantes dessem e iniciam a caminhada até Águas Calientes. As Vans que fazem esse trajeto, costumam sair de Cusco em torno das 9h, e a chegada na hidrelétrica ocorre em torno das 16h. A caminhada da hidrelétrica até Águas Calientes dura em torno de 3h. As passagens das Vans, podem ser compradas via online ou pessoalmente na rodoviária ou agências de Cusco.

Obs: Todas as trilhas têm como ponto final Águas Calientes.

- Ônibus: Última etapa da viajem, corresponde ao percurso da Vila de Águas Calientes até Machu Picchu. As partidas saem da avenida principal, em diversos horários do dia, sendo o primeiro às 5:30 e o último as 17:30. O custo da passagem de ida e volta é de US$ 24 Dólares. Caso queira ver o nascer do Sol em Machu Picchu, procure pegar os primeiros ônibus da manhã. O tempo médio de viajem de Águas Calientes até Machu Picchu é de +/- 20 minutos.

Dica: 

É possível fazer este último trajeto a pé, sem a necessidade de pegar o ônibus em Águas Calientes, o que gera uma boa economia, porém praticamente o percurso inteiro é feito em subida, o que exige um bom preparo físico. 

  • Hospedagem:

- Cusco: Principal cidade dos arredores, é a mais utilizada pelos turistas. Para se chegar a Machu Picchu através de Cusco, é necessário pegar um trem até a vila de Águas Calientes, e de lá fazer o restante da viajem de ônibus. Os primeiros trens do dia, costumam chegar em Águas Calientes em torno das 10h. Em minha viajem, fiquei hospedado no "Kokoppeli Hostel Cusco" (sua nota no Booking em junho de 2017 era 8,6 com 1.136 avaliações).

- Águas Calientes: É a vila mais próxima de Machu Picchu, sua população gira em torno dos 2.500 habitantes. A distância até a entrada do parque é de 8 km e é feita através de ônibus ou a pé. O local é minúsculo, mas oferece uma estrutura turística boa, porém muito inferior à de Cusco. Quem deseja chegar cedo em Machu Picchu, e iniciar o tur com o local mais vazio, ou para ver o nascer do sol, pode optar por passar a noite que antecede a visita em Águas Calientes, e as demais em Cusco. Eu preferi fazer exatamente dessa maneira, e passei a véspera da escalada em Águas Calientes.


  • Entrada: O acesso a Machu Picchu só é permitido através da apresentação do ingresso, juntamente com o documento utilizado para a compra do mesmo (RG ou Passaporte). O número de visitantes diários é limitado, dessa forma o mais indicado é comprar o ingresso com antecedência, principalmente se for viajar na alta temporada. O ingresso pode ser comprado por via online, através do site oficial de Machu Picchu www.machupicchu.gob.pe, ou no prédio do Ministério de Cultura de Cusco ou Águas Calientes.

Existem 3 tipos de ingresso, sendo eles:

- Machu Picchu: 65,00 soles peruanos (+/- R$ 65,00). Permite o acesso apenas as ruinas da cidade, não sendo possível subir nas duas montanhas que a circundam. (Limite diário de visitantes 2.500)

- Machu Picchu + Montanha de Machu Picchu: 200,00 soles peruanos (+/- R$ 200,00). Permite acessar a montanha de Machu Picchu, que oferece a visão clássica das ruinas da cidade com a montanha Huayna Picchu ao fundo. É preciso escolher o horário da subida durante a compra do ingresso (entre 7h e 8h ou entre 9h e 10h), sendo a duração média de caminhada entre ida e volta 4h. (Limite diário de visitantes 800, divididos em dois grupos de 400).

- Machu Picchu + Huayna Picchu: 200,00 soles peruanos (+/- R$ 200,00). É a montanha que fica atrás das ruinas da cidade. É o ingresso mais concorrido, por isso deve ser comprado com o máximo de antecedência possível. É preciso escolher o horário da subida durante a compra do ingresso (entre 7h e 8h ou entre 10h e 11h), sendo a duração média de caminhada entre ida e volta 2h. (Limite diário de visitantes 400, divididos em dois grupos de 200). Em minha viagem optei por escalar esta montanha, e admito que foi um pouco desafiador, porém a recompensa é sem dúvida alguma muito maior que o sacrifício.

Dicas:

Evite a compra de ingressos de vendedores ambulantes, pois existe o risco de você estar comprando um ingresso falso;

É praticamente impossível, devido ao tempo, escalar as duas montanhas, Huayna Picchu e a Montanha de Machu Picchu, no mesmo dia, sendo que uma saída para contornar essa situação, seria voltando a Machu Picchu em dias diferentes. Sendo essa opção pouco viável, é necessário decidir entre uma delas;

É necessário um condicionamento físico mediano para subir as montanhas, que exigem entre a subida e a descida em torno de 2h (Huayna Picchu ) e 4h (Montanha de Machu Picchu), sendo dessa forma pouco aconselhável a escalada para pessoas totalmente sedentárias;

O tempo de subida de Huayna Picchu é menor, porém é muito mais íngreme, se tornando praticamente vertical em alguns pontos. Caso você tenha medo de altura, talvez seja melhor não se aventurar nesta montanha;

Não é necessário subir nenhuma das montanhas, para se conseguir tirar a foto clássica dos cartões postais de Machu Picchu, sendo esta foto tirada de dentro da cidadela. 

__________________________________________________________________________

- Machu Picchu faz parte do seleto grupo das 7 maravilhas do mundo moderno, sendo o principal destino turístico do Peru, e um dos locais mais visitados da América do Sul;

- A cidade foi construída pelos Incas em meados do século XV, e provavelmente abandonada devido a chegada dos conquistadores espanhóis na região, embora os mesmos nunca tenham a encontrado;

- Machu Picchu ficou perdida por 300 anos, desde a queda do império Inca, até a redescoberta do local pelo explorador Hiram Bingham, no ano de 1911;

- Acredita-se que Machu Picchu era uma cidade sagrada, devido aos inúmeros templos e altares no local;

- O nome Machu Picchu, foi dado devido a montanha na qual a cidade está localizada;

- Um grande número de objetos históricos foram levados de Machu Picchu, pelos pesquisadores na época de sua descoberta, sendo que a maioria dos tesouros arqueológicos tiveram como destino os EUA, o que originou discussões entre o governo peruano e americano sobre o fato;

- Desde sua descoberta, boa parte da cidade Inca foi reconstruída e revitalizada;

- Machu Picchu está a aproximadamente 2.440 metros de altitude, e a 112 km da cidade de Cusco;

- Águas Calientes, também conhecida como Machu Picchu Pueblo, é cidade mais próxima da cidadela;

- Em 1983 a Unesco declarou Machu Picchu Patrimônio Mundial da Humanidade.


Considerações Finais

- Conhecer Machu Picchu não é nada barato, principalmente devido aos custos com transporte e ingresso;

- Devido as leis que protegem o sítio arqueológico, o número de visitantes diários é limitado, girando em torno de 2.500, dessa forma o mais indicado é comprar o ingresso com antecedência;

- Não é permitido a entrada de malas grandes ou mochilas cargueiras no sítio arqueológico, sendo possível levar apenas mochilas te tamanho médio ou inferior. Dessa forma é necessário deixar a bagagem no hotel ou hostel;

- Lembre-se de fazer um seguro viajem, que cubra os dias que estiver fora do Brasil;

- Devido a altitude em que se encontra a região do Vale Sagrado, algumas pessoas podem sentir um mal-estar nos primeiros dias, devido ao ar rarefeito;

- Machu Picchu fica a 2.400 metros de altitude em quanto Cusco fica a 3.600 metros, dessa forma as chances de sofrer do mal de altitude, são muito maiores em Cusco;

- Sempre tenha consigo um documento de identificação, RG ou Passaporte. Lembrando que no caso do RG, o mesmo não pode ter mais de 10 anos de emissão;

- Imprima seu ingresso de Machu Picchu, e o apresente junto com o documento utilizado para a compra do mesmo;

- O ingresso permite entrar até 3 vezes no parque em um mesmo dia. Lembre-se que existem banheiros e restaurante apenas do lado de fora do parque, dessa forma administre com cuidado as entradas e saídas;

- Para quem deseja escalar uma das montanhas, o aconselhável é passar a noite que antecede o passeio em Águas Calientes, pois o acesso as montanhas são por hora marcada, além de serem realizados apenas na parte da manhã, dessa forma, mesmo pegando o primeiro trem do dia em Cusco, você provavelmente chegará ao local com pouco tempo de folga;  

- A radiação solar é muito forte no local, até mesmo em dias nublados, por isso o protetor solar é indispensável. Além disso procure usar boné ou chapéu;

- Use repelente, principalmente se for durante o verão;

- Durante o dia as temperaturas sobem muito, associado a isso soma-se o esforço físico, por isso vista algo mais leve por baixo da roupa ou leve alguma peça extra;

- Não existe lanchonetes, quiosques ou vendedores ambulantes dentro do parque, e do lado de fora a apenas um restaurante e uma lanchonete, que tem permissão para explorar o comércio no local, porém os preços praticados são altíssimos. Por isso, leve água e alguns lanches com você;

- Não é permitido comer dentro do parque, porém aguentar longos períodos sem se alimentar não é nada saudável ou fácil. Dessa forma, procure lanchar longe dos agentes do parque, pois eles podem acabar lhe reprimindo;

- Beba apenas água mineral, comprada em locais que espirem confiança, pois existe o risco de as mesmas terem sido enchidas com água de torneira;

- Evite comprar soles peruanos no Brasil, pois as cotações das casas de câmbio brasileiras são desfavoráveis (valor médio do Novo Sol Peruano em junho de 2017 / 0,99 de Reais);

- Para a compra de soles peruanos em Cusco, utilize Reais. Porém caso deseje comprar soles em outras cidades, utilize Dólares, dessa forma você conseguira as melhores cotações;

- A abertura do parque acontece as 6h;

- É possível contratar guias para o passeio, os mesmos atendem grupos ou de forma particular, a vários deles na entrada do parque;

- Cercado por vales, o local é um prato cheio para os amantes da natureza e praticantes de trekking;

- Se estiver com o Passaporte, você pode carimbá-lo ao lado da saída do parque, isso é apenas simbólico mas vale como recordação;

- Toda a viagem requer preparação e estudo sobre o local a ser visitado, principalmente quando se viaja de forma independente, sem o auxílio de agências de viagem. Pesquisar sobre o destino, ajuda a aprender sua história, o que o torna mais interessante ainda, além disso buscar depoimentos de quem já esteve no local, pode evitar possíveis situações desagradáveis. Uma viajem a Machu Picchu por exemplo, exige uma grande preparação, através da escolha do melhor local para se hospedar, formas de transporte e ingressos.  

Machu Picchu é sem sombra de dúvida, um dos lugares mais impressionantes do mundo, exalando belezas naturais, cultura, história e crenças que mechem com a imaginação de muitos, que visitam a cidade sagrada do antigo Império Inca.